10 mitos sobre terapia que estão completamente errados

Como terapeuta, existem bastantes mitos que afastam as pessoas de irem a uma consulta de terapia. Aqui estão 10 dos mitos mais comuns e a sua breve desconstrução.

1 - "Só os malucos é que vão ao psicólogo." A maior parte dos clientes são pessoas com problemas do dia-a-dia, tais como, a perda de um ente querido, uma separação, dificuldade em lidar com os filhos ou problemas de stresse laboral. A generalidade das pessoas passam por momentos difíceis e a terapia irá ajudá-las a ter uma outra visão do seu problema.

2 - "Devo tratar dos meus próprios problemas." Lembre-se que quando se está a sentir fisicamente doente, começa por sentir um mal-estar e toma a decisão de procurar um médico ou, então, de esperar que a doença passe naturalmente. Por vezes, funciona, outras vezes a dor torna-se debilitante e, em casos extremos, degenerativa. A saúde mental segue os mesmos padrões. Por isso, considere procurar ajuda enquanto a dificuldade é ainda controlável e lembre-se que quanto mais cedo reconhecer o problema, mais efetiva poderá ser a sua resolução, o que pode equivaler a menos tempo de acompanhamento.

Procure ajuda enquanto a dificuldade é ainda controlável

Quer entrar em contacto conosco?

3 - "Ter consultas de psicologia é como ter um amigo "pago"." Os amigos, apesar de preocupados e bem intencionados, estão, por vezes, demasiado próximos do(s) seu(s) problema(s), o que lhes limita o discernimento. Por outro lado, influenciam-no(a) com as suas opiniões e conselhos. Os psicólogos têm estudos e conhecimentos, conseguindo proporcionar muito mais do que um amigo e, sobretudo, sem qualquer enviesamento. É mais fácil contar um segredo profundo com quem se estabeleceu um acordo de confidencialidade.

4 - "Remexer no passado não ajuda." Falar de questões do passado pode ser, obviamente, difícil, mas fazê-lo, de forma acompanhada por um profissional, contribui para uma visão diferente das coisas e uma melhor compreensão. Este exercício, tendo em conta os eventos do passado, permitirá ajudá-lo a ter maior clareza nas decisões atuais.

Fale dos seus problemas acompanhado por um(a) profissional

Veja o artigo sobre consciência emocional

5 - "Só os casais à beira da rutura é que fazem terapia de casal." Alguns casais felizes acham proveitoso fazer check-ups regulares sobre o funcionamento da sua relação. A maior parte do trabalho que gostamos de fazer, em Psicologia, é tomar medidas preventivas, de forma a ajudar as pessoas a trabalharem em conjunto com os seus parceiros e atingirem maiores momentos de felicidade. Este tipo de sessões fortalece os laços do casal e evita que pequenos problemas aumentem de gravidade ou intensidade.

6 - "Assim que começa a terapia, é para o resto da vida." Algumas pessoas vêm a três sessões e outras duram dois anos. Algumas pessoas optam por uma terapia a longo prazo, profunda, enquanto outras apresentam pedidos de ajuda muito concretos e específicos. Por exemplo, com seis a oito sessões consegue garantir-se que a pessoa tenha resultados de bem-estar e diminuir o número de recaídas e de re-ocorrências de eventos depressivos/ansiosos.

7 - "A terapia de casal apenas piora a relação." Quando o casal agenda uma sessão, o terapeuta vê dois desfechos, designadamente ficarem juntos ou a separação amigável, mas são sempre os clientes que tomam essa decisão. Se ambos os parceiros querem melhorar a relação e o objetivo é claro, é trabalho do psicólogo ajudar a tomar decisões que possam surgir, promovendo uma maior clareza sobre as situações que rodeia o casal.

8 -"Na terapia de casal, o terapeuta toma partido da pessoa que se faz de "vítima"." Todos os psicólogos sabem que nada acontece sem uma razão, sendo que cada parceiro tem um papel equiparado nos problemas, seja por comissão ou por omissão. Nesse caso, o papel do profissional será que cada um reconheça o problema e que nenhuma pessoa é unicamente responsável.

Os psicólogos ajudam a que entenda a sua situação

9 - "Porquê é que vou à terapia, se posso tomar medicação?" Os antidepressivos e os ansiolíticos ajudam a controlar as emoções. Na sua conceção, os psicofármacos e os psicologos/psicoterapeutas trabalham lado a lado. A ideia é que a medicação atenua o problema imediatamente e que o acompanhamento psicológico atua visando o futuro. Isto permite que as pessoas deixem de depender da medicação para conseguir o seu bem-estar emocional. Infelizmente, perdemos a visão de como as duas terapias se ajudam mutuamente e baseamo-nos nesta prescrição fácil de medicamentos sem irmos à questão central. Ou seja, temos excesso de medicação, mas com problemas por resolver. Resumindo, o recomendável é um trabalho conjunto da psicologia com eventual recurso à medicação psicofarmacológica.

10 - "A terapia fá-lo sentir-se envergonhado e culpado." O psicólogo ou o terapeuta não emite julgamentos morais, culpabilizando os seus clientes pelos seus problemas. Pelo contrário, demonstram compreensão e promoverão a sua capacidade de tomada de decisões.

Fonte: 10 Therapy Myths That Are Just Totally WRONG (As Written By A Therapist). HuffPost Healthy Living (https://www.huffingtonpost.com/yourtango/therapy-myths_b_7637096.html)