Pensamentos automáticos

Hoje vou falar sobre um tema que afeta todos nós de várias maneiras possíveis e imagináveis que pode causar constrangimentos a nível emocional, social ou até profissional. Estou a falar dos nossos pensamentos automáticos, aqueles pensamentos que nem sempre temos a noção que os temos.

A nossa vida pode ser bastante agitada. Temos questões por resolver, decisões para tomar, necessidades por conquistar....a nossa mente fica encarregada de racionalizar todos os nossos objetivos e desejos e pensamos que temos tudo sobre controlo. Mas, quem é que controla o que pensamos? Nada mais nada menos que nós próprios.

Como sou vegetariano e vivo com os meus pais, temos certos limites e regras lá em casa, no que toca a alimentação, mais propriamente ao almoço e ao jantar. Os meus pais não são vegetarianos como eu e por isso decidimos que, como o meu pai chega mais tarde do trabalho, era eu quem fazia primeiro o almoço e o jantar para mim. A minha mãe tratava de preparar as refeições para eles logo que eu saísse da cozinha.

Certo dia, enquanto acabava de empratar o meu prato, isto é, de encher o prato de comida, a minha mãe aparece na cozinha quando eu menos esperava. Quando isso aconteceu, tive um súbito pensamento que me levou a ter uma certa frustração. Não que ela me interrompesse ou tivesse feito algo mas o facto de me vir à memória os acontecimentos do passado e que poderiam vir a repetir-se, deu-me uma certa revolta. De todas as vezes que a minha mãe visse o meu prato cheio, ela criticava o quão forte eu estava ou quão imenso eu comia.

Tem controlo sobre os seus pensamentos?

Todos nós fazemos automaticamente interpretações de tudo o que experimentamos através dos nossos sentidos - o que vemos, ouvimos, tocamos e sentimos. Nós julgamos as situações como boas ou más, divertidas ou perturbadoras, seguras ou arriscadas. Os nossos pensamentos raramente são notados, mas podem ser suficientemente poderosos para criar emoções mais intensas.

Os pensamentos automáticos são fluxos de pensamentos sobre nós próprios ou sobre os outros. Esses pensamentos influenciam as nossas experiências, são propícios em situações ou em eventos específicos e podem ocorrer com bastante rapidez. Embora possamos estar conscientes da presença do pensamento automático, estamos familiarizados com os sentimentos que eles criam dentro de nós atribuindo significados a eles mesmos.

Existem pensamentos automáticos fruto das crenças que produzimos sobre nós mesmos, sobre o mundo e sobre o futuro. Estes pensamentos podem ser destrutivos, disfuncionais e angustiantes. A maior parte das vezes são desencadeados por situações recorrentes ou agravados por estados psicológicos, como a ansiedade ou a depressão. Nestes casos será preciso uma intervenção psicológica de um profissional para avaliar a sua saúde mental.