Síndrome de burnout

Quantas vezes já se sentiu insatisfeita(o) no seu local de trabalho e cansada(o) depois de um longo e árduo dia?

A Síndrome de Burnout é caracterizada por um estado de exaustão física, emocional e mental que surge geralmente devido ao acúmulo de stress no trabalho, sendo, por isso, muito comum em profissionais que têm que lidar com pressão e responsabilidade constante.

Os profissionais e auxiliares de saúde são um exemplo disso. A constante flexibilidade e rapidez que têm de executar tarefas básicas como cuidar de doentes, ouvir queixas por longos períodos de tempo, procurar por medicamentos, atender um grande número de utentes num curto espaço de tempo requer competências emocionais para lidar com as constantes pressões.

Mas o que se passa num indivíduo com o síndrome de burnout?


Uma amiga minha, licenciada em enfermagem começou a trabalhar nas urgências no hospital de São João. Um dia, ela liga-me para contar que os seus colegas não a ajudavam da forma que deveriam ajudar. "Não me ensinaram a lidar com estas coisas na faculdade!", dizia-me muito aflita. Sentia-se pressionada a agir contra o seu ritmo, estava sempre cansada de ouvir gritos e exigiam-lhe mais do que aquilo que podia fazer, explicava-me ela.


As pessoas quando são pressionadas a um ritmo que não é o seu ficam mais ansiosas. As pressões, as responsabilidades, a carga horária e a competitividade entre colegas são factores que potenciam a alarmante instabilidade e a falta de adaptação num meio organizacional. A preocupação em atingir as metas estabelecidas e o medo de falhar propiciam a sensação de desconforto e a falta motivação. 

Devido a todos estes sintomas, a pessoa tem tendência em isolar-se dos colegas e consequentemente dos amigos e da família. Outros sinais frequentes da síndrome de burnout incluem, demorar mais tempo em realizar as tarefas profissionais, assim como faltar ou chegar atrasado muitas vezes ao trabalho. Além disso, quando se tira férias é comum não sentir-se prazer durante esse período ficando com a sensação de ainda estar cansado quando chega ao trabalho.

O meu namorado trabalhou numa empresa de produção de cabos elétricos e uma colega sua pediu-lhe ajuda numa das suas máquinas. Enquanto trabalhavam a sua colega tinha desabafado que sofre de ansiedade e de depressão desde que começou a trabalhar naquela empresa. "Fico aflita e dói-me o peito", jutificava-se. Ela recorreu ao seu médico de família para saber se tinha algum problema e receitaram-lhe antidepressivos.​ 

Muitas vezes, a pessoa que está a sofrer com burnout não consegue identificar todos os sintomas e, por isso, não consegue confirmar de que algo está a acontecer. Dessa forma, se existirem suspeitas de estar a sofrer com este problema, é aconselhado pedir ajuda para um amigo ou familiar de forma a identificar corretamente os sintomas. Porém, para fazer o diagnóstico e não ter mais dúvidas, a melhor forma é ir ter com psicólogo ou psicoterapeuta para que sejam discutidos os sintomas, identificar o problema e orientar para um tratamento.